Dados

  • Código: AnCSR A02
  • ECTS: 5
  • Área curricular: Análise Cultural, Social e Religiosa
  • Nível: Básico
  • Ano/Semestre: 1º, 2º
  • Precedências obrigatórias: Nenhuma

Descrição de Disciplina

A disciplina debruçar-se-á num primeiro momento sobre a apologética em si mesma, levando o aluno a refletir sobre essa dimensão da vivência cristã (noções básicas, os conflitos internos da disciplina, suas oportunidades, desenvolvimento histórico, etc.) a que se seguirá uma segunda parte, que ocupará a maior parte do programa, onde se aprofundará o exercício da defesa da fé diante de temáticas absolutamente cruciais para a contemporaneidade e sociedade portuguesa, confrontando a mundividência cristã com as perspetivas antagónicas à mesma.

Grande Finalidade

Pretende-se introduzir e analisar o exercício da apologética cristã de modo a guarnecer o aluno não só de conhecimentos inerentes a esta prática, como também desenvolver neste a aptidão crítica necessária para dialogar com as diversas perspetivas antagónicas à fé cristã, perspetivas estas que inexoravelmente surgirão numa sociedade pluralista. O aluno deverá ser capaz de aprofundar a verdade presente em Cristo, contrapondo-a com posições contemporâneas que lhe são contrárias, utilizando as ferramentas cognitivas e metodológicas fornecidas ao longo do semestre. Constitui ainda como objetivo, a perceção da importância da defesa da fé cristã numa perspetiva externa (proclamação do Evangelho) mas também interna, seja como responsabilidade intrínseca do cristão, seja como possibilidade de superação de dúvidas interiores e capacitação para o discipulado. Assim capacitado, o aluno deverá incorporar a apologética no seu dia-a-dia como uma atividade própria e natural da sua vida cristã quotidiana, manifestada tanto nos diálogos com as pessoas que o rodeiam como com as informações diariamente recebidas, e não tanto como um compêndio de respostas sumárias a posições que lhe são adversas.

Finalidades

Conhecimentos (SABER):

  • Entender o exercício apologético cristão, suas finalidades e fundamentos.
  • Conhecer as diversas fases do desenvolvimento desta prática cristã entre os apóstolos e igreja primitiva.
  • Distinguir as diversas formas de apologética e os actuais conflitos internos da disciplina.
  • Compreender as novas abordagens apologéticas inseridas na pós-modernidade e as origens do ressurgimento de outras mais antigas principalmente nos meios académicos.
  • Reconhecer os argumentos do novo-ateísmo assim como as falácias aí presentes.
  • Descobrir o mito por detrás da oposição entre ciência e religião.
  • Conhecer os diversos argumentos desenvolvidos ao redor do problema do mal, com incidência nos mais contemporâneos.
  • Reconhecer os argumentos contrários à divindade de Jesus na investigação contemporânea sobre a sa historicidade.
  • Compreender as lacunas existentes nos caminhos traçados pela investigação histórica contemporânea à volta da figura de Jesus e conhecer os indícios históricos que nos apontam para a veracidade do relato dos Evangelhos.
  • Conhecer os indícios históricos existentes sobre a ressurreição corpórea de Jesus.
  • Conhecer o trabalho apologético de alguns autores de referência.
  • Conhecer e tomar contacto com as principais obras apologéticas, tanto contemporâneas. 

Aptidões e capacidades (SABER FAZER)

  • Desmontar, em diálogo, os argumentos contrários à fé cristã presentes.
  • Identificar, em diálogo, as motivações por detrás da oposição à fé cristã
  • Utilizar os conhecimentos adquiridos em aula nas conversas diárias.
  • Desenvolver uma capacidade de pesquisa e de confronto em amor com as objecções à fé cristã.
  • Valorizar as críticas e criar empatia com as mesmas, de modo a que a resposta oferecida seja eficaz e não uma mera repetição descontextualizada de informações adquiridas.
  • Auxiliar os irmãos na fé em relação às suas dúvidas internas, libertando-os para uma relação com Deus sem obstáculos desta natureza.

Valores e hábitos (SABER SER/ESTAR)

  • Cultivar o hábito de conhecer as opiniões que se desenvolvem na sociedade a respeito da mensagem do Evangelho.
  • Desenvolver uma atitude de diálogo com as diversas críticas e oposições à fé cristã, superando a atitude, por vezes comum, de condenação imediata e irreflectida.
  • Superar o medo ou pânico que comummente se instala aquando confronto com ideias diferentes e antagónicas à fé cristã.
  • Aprender a conviver com a dúvida libertando-se do receio doentio que esta por vezes comporta para a vida do cristão.
  • Desenvolver a fé mesmo em situações de dúvida, dispondo o coração a confiar na verdade do Evangelho, mediante a compreensão de que aparentes conflitos do passado se revelaram meramente aparentes.
  • Preparar o caminho para a divulgação do Evangelho de Cristo através de respostas concretas para o cepticismo contemporâneo.
  • Aplicar na sua vida as exortação dos apóstolos Paulo e Pedro: «E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus» (Rom 12:2) considerando que «Estejam sempre preparados para responder a todos os que vos interrogarem acerca da esperança que têm. Mas façam-no com gentileza e respeito, tendo a consciência tranquila». (I Pe 3:15b-16a)

Filosofia Educacional

Considerando que a compreensão temática se desenvolve com mais acuidade quando sujeita à reflexão crítica dos seus fundamentos e do seu enquadramento histórico, dar-se-á uma ênfase inicial à capacidade de pensar a apologética e de a enquadrar no seu desenvolvimento histórico. Desse modo o aluno acompanhará todo o panorama necessário mediante um constante exercício de contextualização. De modo a estimular uma maior eficiência nos estudos, utilizar-se-ão elementos de avaliação constantes tais como apresentações orais, que incluirão aplicações práticas dos conhecimentos adquiridos, e exames escritos. Por ser uma disciplina de confronto com as objecções à fé cristã, considera-se que é necessário um contacto directo com as mesmas (e não apenas mediado pelos docentes) através de uma análise pessoal de uma obra que apresente objecções às posições ortodoxas. Utilizar-se-á a análise de filmes como modo de capacitar os alunos para a visualização crítica de um dos maiores instrumentos de divulgação de valores e ideias da sociedade hodierna. Será ainda incentivado o diálogo professor-aluno e o debate público, de modo a que se desenvolvam os conhecimentos necessários para a aquisição de aptidões específicas no âmbito da apologética.

Obras Fundamentais

CHESTERTON, G. K. – Ortodoxia. Lisboa: Alêtheia, 2008.
COLLINS, Francis – A Linguagem de Deus: A ciência apresenta provas para a fé. Barcarena: Editorial Presença, 2007.
CRAIG, William Lane – Em Guarda: Defenda a fé cristã com razão e precisão. São Paulo: Vida Nova, 2011.
FLEW, Antony – Deus Existe. Lisboa: Alêtheia, 2008.
LEWIS, C. S. – O Problema do Sofrimento (2.a ed.). São Paulo: Mundo Cristão, 1986.
MCGRATH, Alister – Apologética cristã para o século XXI. São Paulo: Editora Vida, 2008.
RAINHO, Manuel – O Misterioso Jesus: Procurando a verdade sobre a identidade de Jesus,
Lisboa: Grupo Bíblico Universitário, 2010.
STARK, Rodney – A vitória da Razão, Lisboa: Tribuna da História, 2007.
STOTT, John – Crer é Também Pensar. São Paulo: ABU, 2012.
SWINBURNE, Richard – Será que Deus Existe? Lisboa: Gradiva, 1998.